(21) 3216-7700 / (21) 2406-7700 (21) 99496-6060

Por Karen Ferreira e Rafaela Barbosa

A graduação de Ciências Biológicas está próxima da marca de 25 anos. A experiência e o comprometimento desses anos fizeram com que esse curso seja o mais envolvido em projetos de pesquisa dentro da Universidade Castelo Branco. Talvez por esse motivo a aula magna do curso de Ciências Biológicas contou com um grande diferencial: os palestrantes eram os próprios alunos. O evento aconteceu no dia 29 de agosto no campus Realengo no teatro Carlos Wenceslau.

O coordenador Fabio Moraes da Costa iniciou a palestra com uma apresentação geral do curso, as novidades no mercado de trabalho e as boas-vindas aos novos alunos. Segundo ele, o objetivo da aula magna é apresentar ao aluno de primeiro período as possibilidades de desenvolvimento científico dentro da UCB.

Nove projetos foram apresentados pelos alunos da graduação em Ciências Biológicas. Entre os projetos estavam O Bicho vai pegar e o Projeto de Educação Ambiental. Parcerias importantes como com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e a Ação Biotecnologia Marinha (BIOMAR) também ganharam destaque. Grande parte do discurso dos alunos girou em torno da sustentabilidade e da necessidade de inovação para um uso consciente dos recursos naturais.

Uma das iniciativas apresentadas foi o projeto Agricultura Natural, parceria da Castelo Branco com a Igreja Messiânica, que desenvolve uma área agrícola dentro da Universidade com o objetivo de aproximar as pessoas da natureza. “A gente não trabalha com agrotóxicos. É importante dizer que a gente não combate nenhum tipo de praga porque, como uma agricultura natural, a gente entende que faz parte do ciclo da vida que as pragas apareçam”, contou uma das representantes do projeto.

Em meio a mudanças de posicionamento político em relação à preservação ambiental, as reflexões propostas pelos alunos da Universidade Castelo Branco assumem um papel de importância no cenário de produção científica nacional.

 

Os alunos do turno da noite não ficaram de fora e também tiveram sua aula inaugura. Coordenador do curso, o professor Diego Ferreira começou a palestra falando sobre o que era ser biólogo, comentou sobre os diferenciais da UCB na qualidade de ensino, na pesquisa e na extensão, a diferença de bacharelado e licenciatura e tirou as dúvidas de veteranos e calouros. O docente ensinou também sobre as horas complementares e a estrutura do curso.

Diego falou sobre os problemas relacionados à falta de precisão do sistema analítico, sobre a importância da qualidade da amostra sanguínea para o exame, deu exemplos de hemólise, coagulo e fibrina. A palestra contou com a interação dos alunos e continuou focada na importância e nas consequências dos erros nas fases analíticas e pós-analíticas.