(21) 3216-7700 / (21) 2406-7700 (21) 99496-6060

Por Karen Ferreira e Rafaela Carrilho

O dia 10 de agosto foi bem movimentado para alunos de Gestão e Tecnologia da Universidade Castelo Branco. O período letivo começou com aulas magnas e um simpósio sobre sustentabilidade ambiental.

Partindo do princípio da diversidade de temas, as aulas magnas falaram sobre o cenário atual de crise e a questão da empregabilidade, a importância de ouvir dentro da gestão, criatividade, inovação e redes sociais.

No campus Centro, os alunos puderam participar do I Simpósio Múltiplos Olhares Sobre a Sustentabilidade Ambiental. O desenvolvimento sustentável é um objetivo do milênio estabelecido pela ONU. Cada país-membro precisa elaborar um programa de consumo sustentável. Esse foi o mote das apresentações e da mesa-redonda que aconteceram à noite no auditório lotado. Professores e pesquisadores da UCB e de instituições parceiras discutiram questões de energia elétrica, geologia e licenciamento ambiental.

Liz-Rejane Issberner, economista, pesquisadora titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia e professora do PPGCI-IBICT/UFRJ, começou sua explanação com o diálogo sobre o desenvolvimento e sustentabilidade. Ela afirmou que o “trilema” desenvolvimento econômico, desenvolvimento social e sustentabilidade é o dilema da pesquisa.

Já a Dra. Marcia Bettencourt, analista em Ciência e Tecnologia da Comissão Nacional de Energia Nuclear, falou sobre energia elétrica e afirmou que, apesar de a matriz elétrica brasileira ser considerada boa, ela não é sustentável. Acrescentou ainda que as questões ambientais e sustentáveis são vistas como forma de diálogo e participação administrativa. A doutora fez uma pesquisa sobre novas discussões sobre movimentos socioambientais.

Na mesa-redonda, entre vários questionamentos foram levantados. A professora e pesquisadora da UCB Paula Maria Moura respondeu uma delas: “tem gente que acha que quem se preocupa com o meio ambiente não é confiável, mas não é assim, a gente se preocupa com o meio ambiente e com a população no geral”.