(21) 3216-7700 / (21) 2406-7700 (21) 99496-6060

Por Karen Ferreira e Rafaela Barbosa

Aconteceram, nos dias 16 e 18 de outubro, palestras sobre os papéis do profissional de educação física e a sua relação com qualidade de vida e prevenção de doenças. O curso de Educação Física da Universidade Castelo Branco, referência no Rio de Janeiro, recebeu as docentes Luciane Pires e Grace Barros no Teatro Carlos Wenceslau, em Realengo.

“Não adianta nada eu pedir pra ele caminhar uma hora por dia se ele mora numa comunidade que tem tiroteio. Ele fica recluso. Ele diz que faz, muitas vezes por vergonha de dizer que não fez por esse contexto social, mas não faz. E a gente vê que o prognóstico dele é ruim. A gente precisa de fato conhecer esse lugar. É preciso reconhecer a pessoa que estou tratando”.

Além disso, o papel social do profissional de educação física como profissional da saúde proporcionou outros horizontes aos alunos. Em 1997, a VIII Conferência Nacional de Saúde determinou que o profissional de Educação Física fosse incluído como uma formação de nível superior na área da saúde e que compusesse todos os conselhos de saúde existentes. Desde então, a responsabilidade desses profissionais deixou de ser apenas educacional e passou a ser também da promoção da saúde.

No dia 18 de agosto, foi a vez dos alunos saberem um pouco mais sobre atividade física, qualidade de vida e prevenção. O assunto gerou em torno da importância dos esportes e exercícios físicos contra a hipertensão e obesidade.

A palestra foi iniciada com a homeostase, a busca do corpo pelo equilíbrio em casos de doenças, e sobre a importância de dar bons estímulos ao corpo para evitar a obesidade. O sedentarismo esteve em foco também e o grande fator de ele desenvolver doenças crônicas em uma pessoa.

Foi discutido ainda sobre os diferentes tipos de colesterol, atenção alimentar e sobre qualidade de vida.